Entre e aconchegue-se, a casa é sua!

"Agradeço muito por você fazer parte da minha viagem, e por mais que nossos assentos não estejam lado a lado, com certeza, estamos no mesmo vagão."

"Se você sabe explicar o que sente, não ame,
o amor foge de todas as explicações possíveis."

"Todos ganham presentes, mas nem todos abrem o pacote."

"Não quero ter a terrível limitação
de quem vive apenas do que é passível de fazer sentido.
Eu não:
QUERO UMA VERDADE INVENTADA."



"Está em nossas mãos criar as condições que nos permitam descobrir uma forma diferente de ser. Por que não agir como a borboleta que acreditou que não deveria se limitar a uma existência de lagarta e, hoje, trocou sua vida limitada pela LIBERDADE DE VOAR POR ENTRE AS FLORES."

"Acalma meu passo, Senhor.
Desacelera as batidas do meu coração, acalmando a minha mente.
Diminua meu ritmo apressado com uma visão da eternidade do tempo.
Em meio às confusões do dia a dia, dê-me a tranqüilidade das montanhas.
"





sábado, 23 de janeiro de 2010

O excesso de foco é tão prejudicial como a falta dele‏

"Clareza de objetivo, planejamento e persistência são quesitos fundamentais para se conquistar qualquer coisa na vida. Ou seja, dificilmente alguém consegue chegar onde deseja quando não tem foco!

No amor também é assim! Ou você sabe o que quer, faz a sua escolha e toma atitudes coerentes ou, muito provavelmente – mais cedo ou mais tarde – vai ver a pessoa que você deseja nos braços de outra.

Porém, tenho notado que é bem fácil perder a noção de limite quando o alvo é o coração de alguém. Ou seja, foco demais pode ser tão prejudicial quanto foco de menos! Então, qual é a medida ideal?

Muito bem! Em primeiro lugar, a medida é pessoal. Cada um tem de encontrar a sua, baseando-se em seus próprios limites e na intensidade de seus sentimentos. Depois, é preciso reconhecer os parâmetros do bom-senso.

Tem gente que foca só por focar, sem ponderar se realmente está interessado no alvo. Isto está mais para desfoco, como quem atira para todos os lados, do que para atitude de quem sabe o que quer.

Se a idéia é esta – não acertar ninguém – o desfoco pode até ser válido. O único cuidado recai sobre o perigo de atingir algum desavisado e feri-lo deliberadamente, conquistando desafetos desnecessariamente.

Por outro lado, focar demais também pode render preocupações e angústias que só empatam sua vida e lhe roubam a leveza de atitudes. Você fica com a atenção e o coração tão rendidos que perde a noção do todo e, principalmente, não consegue avaliar se tanta dedicação vale mesmo a pena.

Além de facilmente desrespeitar seus limites, aceitando situações que não lhe satisfazem, é bom lembrar que, neste caso, o alvo é móvel, tem vida própria. Quando você se excede, é bem provável que o assuste e ele se afaste.

O fato é que, quando há excesso ou falta, o verdadeiro sentido do foco se perde. A medida certa tem a ver com os sentimentos decorrentes desta arte. Até porque, focar exige destreza, sensibilidade e perspicácia.

Seja para namorar, casar ou simplesmente ser feliz sem rotular o alvo, o ideal é se perguntar, de quando em quando, onde você deseja chegar. No mais, o processo da conquista precisa lhe render prazer, alegria e, sobretudo, aprendizado... E você termina descobrindo que foco de menos te faz sentir vazio e foco demais te faz sentir sufocado.

Desejo que sua conquista signifique amadurecimento, afeto e uma doce constatação: a de que a intensidade do seu foco está em sintonia com o ritmo com que bate seu coração..."

(por Rosana Braga)

Nenhum comentário: