Entre e aconchegue-se, a casa é sua!

"Agradeço muito por você fazer parte da minha viagem, e por mais que nossos assentos não estejam lado a lado, com certeza, estamos no mesmo vagão."

"Se você sabe explicar o que sente, não ame,
o amor foge de todas as explicações possíveis."

"Todos ganham presentes, mas nem todos abrem o pacote."

"Não quero ter a terrível limitação
de quem vive apenas do que é passível de fazer sentido.
Eu não:
QUERO UMA VERDADE INVENTADA."



"Está em nossas mãos criar as condições que nos permitam descobrir uma forma diferente de ser. Por que não agir como a borboleta que acreditou que não deveria se limitar a uma existência de lagarta e, hoje, trocou sua vida limitada pela LIBERDADE DE VOAR POR ENTRE AS FLORES."

"Acalma meu passo, Senhor.
Desacelera as batidas do meu coração, acalmando a minha mente.
Diminua meu ritmo apressado com uma visão da eternidade do tempo.
Em meio às confusões do dia a dia, dê-me a tranqüilidade das montanhas.
"





domingo, 31 de janeiro de 2010

Dia da Saudade - 30 de Janeiro

No dia 30 de janeiro se comemora o Dia da Saudade. A palavra vem do latim solitate, que na tradução literal quer dizer solidão. Mas em nossa língua ela adquiriu um significado bem mais romântico, como nos mostra o Dicionário Aurélio:
Saudade: Substantivo feminino - Lembrança nostálgica e, ao mesmo tempo, suave, de pessoas ou coisas distantes ou extintas, acompanhada do desejo de tornar a vê-las ou possuí-las; nostalgia.

Este sentimento sempre foi tema de músicas, poemas, filmes e não há quem já não o tenha sentido.
Temos saudades de pessoas, de momentos, de situações, de lugares. Sentimos falta de tudo o que nos faz bem.
E, como dizem que relembrar é viver, a saudade nos transporta para um tempo em que fomos mais felizes, trazendo, muitas vezes, lembranças doloridas.

E para desejar a todos um Dia da Saudade cheio de boas lembranças...
Deixo o poema 'Saudade' do Pablo Neruda
.

"Saudade é solidão acompanhada, é quando o amor ainda não foi embora, mas o amado já...
Saudade é amar um passado que ainda não passou, é recusar um presente que nos machuca, é não ver o futuro que nos convida...
Saudade é sentir que existe o que não existe mais...
Saudade é o inferno dos que perderam, é a dor dos que ficaram para trás, é o gosto de morte na boca dos que continuam...
Só uma pessoa no mundo deseja sentir saudade: aquela que nunca amou.
E esse é o maior dos sofrimentos: não ter por quem sentir saudades, passar pela vida e não viver.
O maior dos sofrimentos é nunca ter sofrido."

(por Pablo Neruda)

sábado, 30 de janeiro de 2010

Pra ser amor



"Pra ser amor...

Tinha que ser mais forte do que nós.
Ser companhia quando estamos sós.

Ser invisível e abrasador.

Pra ser amor...

Tinha que haver bem mais compreensão.

Tinha que ser maior do que a razão.

Ser imbatível como um vencedor.


Se fosse amor...
Todo o universo ia conspirar,
Dando um remédio pra aliviar a dor.


Pra ser amor...
Tinha que ser nós dois..."

(por Ricky Vallen)

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Viver é optar

"É disto que é feita a vida: de opções.
Das mais insignificantes às mais relevantes.
Para cada opção corresponde uma renúncia.
Diante disto, surge a vontade de “ficar em cima do muro”...
Esta é uma opção ilusória.
Um belo dia, o muro desaba, ou você perde o equilíbrio e cai, ou alguém (ou algo) te empurra dele de volta para o chão. E você pode cair justamente do pior lado, por um mero acaso, não por uma opção consciente sua.
Saber viver é isto aí: tentar fazer sempre a melhor opção e conviver com a renúncia que ela trará.
Nunca deixe de fazer algo de bom que o seu coração pede…
O tempo pode passar e a oportunidade também.
Não esqueça que:
Meta, a gente busca.
Caminho, a gente acha.
Desafio, a gente topa.
Vida, a gente enfrenta.
Saudade, a gente mata.
Sonho, a gente realiza..."

(Autor Desconhecido)

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

O Amor que a Vida traz

"Você gostaria de ter um amor que fosse estável, divertido e fácil. O objeto desse amor nem precisaria ser muito bonito, nem rico. Uma pessoa bacana, que te adorasse e fosse parceira já estaria mais do que bom. Você quer um amor assim. É pedir muito? Ora, você está sendo até modesto.

O problema é que todos imaginam um amor a seu modo, um amor cheio de pré-requisitos. Ao analisar o currículo do candidato, alguns itens de fábrica não podem faltar. O seu amor tem que gostar um pouco de cinema, nem que seja pra assistir em casa, no DVD. E seria bom que gostasse dos seus amigos. E precisa ter um objetivo na vida. Bom humor, sim, bom humor não pode faltar. Não é querer demais, é? Ninguém está pedindo um piloto de Fórmula 1 ou uma capa da Playboy. Basta um amor desses fabricados em série, não pode ser tão impossível.

Aí a vida bate à sua porta e entrega um amor que não tem nada a ver com o que você queria. Será que se enganou de endereço? Não. Está tudo certinho, confira o protocolo. Esse é o amor que lhe cabe. É seu. Se não gostar, pode colocar no lixo, pode passar adiante, faça o que quiser. A entrega está feita, assine aqui, adeus.

E agora está você aí, com esse amor que não estava nos planos. Um amor que não é a sua cara, que não lembra em nada um amor idealizado. E, por isso mesmo, um amor que deixa você em pânico e em êxtase. Tudo diferente do que você um dia supôs, um amor que te perturba e te exige, que não aceita as regras que você estipulou. Um amor que a cada manhã faz você pensar que de hoje não passa, mas a noite chega e esse amor perdura, um amor movido por discussões que você não esperava enfrentar e por beijos para os quais nem imaginava ter tanto fôlego.
Um amor errado como aqueles que dizem que devemos aproveitar enquanto não encontramos o certo, e o certo era aquele outro que você havia solicitado, mas a vida, que é péssima em atender pedidos, lhe trouxe esse e conforme-se, saboreie esse presente, esse suspense, esse nonsense, esse amor que você desconfia que não lhe pertence.

Aquele amor em formato de coração, amor com licor, amor de caixinha, não apareceu. Olhe pra você vivendo esse amor a granel, esse amor escarcéu, não era bem isso que você desejava, mas é o amor que lhe foi destinado, o amor que começou por telefone, o amor que começou pela internet, que esbarrou em você no elevador, o amor que era pra não vingar e virou compromisso, olha você tendo que explicar o que não se explica, você nunca havia se dado conta de que amor não se pede, não se especifica, não se experimenta em loja – ah, este me serviu direitinho!

Aquele amor corretinho, por você tão sonhado, vai parar na porta de alguém que despreza amores corretos, repare em como a vida é astuciosa. Assim são as entregas de amor, todas como se viessem num caminhão da sorte, uma promoção de domingo, um prêmio buzinando lá fora, mesmo você nunca tendo apostado. Aquele amor que você encomendou não veio, parabéns! Agradeça e aproveite o que lhe foi entregue por sorteio."

(por Martha Medeiros)

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Momento Zen - O Copo e o Lago


"O velho mestre pediu a um jovem triste que colocasse uma mão cheia de sal em um copo d’água e bebesse.
Qual é o gosto? – perguntou o mestre.
Ruim – disse o aprendiz.

O mestre sorriu e pediu ao jovem que pegasse outra mão cheia de sal e levasse a um lago. Os dois caminharam em silêncio e o jovem jogou o sal no lago. Então o velho disse:
- Beba um pouco dessa água
Enquanto a água corria do queixo do jovem o mestre perguntou:
- Qual é o gosto?
- Bom! - disse o rapaz.
- Você sente o gosto do sal? - perguntou o mestre.
- Não - disse o jovem.

O Mestre então, sentou ao lado do jovem, pegou em suas mãos e disse:
- A dor na vida de uma pessoa não muda. Mas o sabor da dor depende de onde a colocamos.

Quando você sentir dor, a única coisa que você deve fazer é aumentar o sentido de tudo o que está a sua volta. É dar mais valor ao que você tem do que ao que você perdeu.

Em outras palavras: É deixar de 'Ser copo' para tornar-se um 'Lago'."

Então, vamos colocar a dor onde ela deve ficar, vamos aumentar o sentido de tudo que está em nossa volta, vamos dar mais valor ao que temos do qua ao que perdemos. Vamos deixar de ser copos e vamos nos tornar LAGOS.

(Autor Desconhecido)

Não é o que se fala, mas como se fala!

"Não foram poucas as vezes em que presenciei conversas entre casais onde tudo o que bastaria para um ‘final feliz’ seria um outro modo de se dizer as coisas...
Inclusive comigo mesma, que sou uma auditiva assumida (todos nós temos uma predominância entre ser mais ‘auditivo’, mais ‘sinestésico’ ou mais ‘visual’), sei que diferentes sentimentos e percepções podem aflorar em mim dependendo da forma como cada verdade me é dita e, claro (!), com que maturidade eu me disponho a interpretá-las!

Quanto às verdades – penso que devemos, antes, ponderar sobre duas questões. A primeira é o quanto estamos, em cada fase do nosso amadurecimento, preparados para ouvi-las – e isso significa que algumas vezes é melhor não desejar obter uma informação com o qual não saberíamos o que fazer.

E a segunda é que precisamos aprender a usar as verdades para crescer e nos tornar mais confiáveis ao Outro e não para arquitetar acusações deliberadas e inúteis.
Portanto, em vez de distorcer as palavras ou economizar os sentimentos, o que serviria apenas para aumentar o número de relações rasas e inconsistentes e colaborar para aprofundar os buracos internos das pessoas que passam pelas nossas vidas, creio que esteja na hora de aprendermos a usufruir melhor da comunicação.

Note: quando duas pessoas que se gostam estão em sintonia, interessadas em realmente se entender, geralmente falam baixinho, muito proximamente uma da outra; porque, afinal, o objetivo é ficar bem.

Entretanto, quando não estão em sintonia, ainda que se gostem, alteram o tom, aumentam o volume e perdem a noção do que estão dizendo. E pior do que isso: o que uma diz é, muito recorrentemente, interpretado equivocadamente pela outra.
Suponho que mais produtivo do que nos escondermos atrás de omissões ou vender uma imagem que não corresponde com a nossa essência, seria apostar mais no acolhimento das diferenças, na percepção dos limites e na coerência entre o que se diz, o que se sente e o que se faz – tanto em relação a nós mesmos quanto em relação ao Outro.

Por fim, quando a gente fala com o intuito de resolver e crescer, termina descobrindo que palavras são apenas palavras, muitas vezes traiçoeiras, mas que as entrelinhas estão sempre carregadas de desejos, sentimentos, intenções e verdades que só podem ser ouvidos com o coração. Esta é a idéia: uma troca íntima entre dois corações... para que todo o resto possa fazer sentido e valer a pena!"

(por Rosana Braga)

domingo, 24 de janeiro de 2010

Não deixe o amor passar...

"Quando encontrar alguém e esse alguém fizer seu coração parar de funcionar por alguns segundos, preste atenção: Pode ser a pessoa mais importante da sua vida.

Se os olhares se cruzarem e, neste momento, houver o mesmo brilho intenso entre eles, fique alerta: Pode ser a pessoa que você está esperando desde o dia em que nasceu.


Se o toque dos lábios for intenso, se o beijo for apaixonante, e os olhos se encherem d’água neste momento, perceba: Existe algo mágico entre vocês.


Se o primeiro e o último pensamento do seu dia for essa pessoa, se a vontade de ficar juntos chegar a apertar o coração, agradeça: Deus te mandou um presente: O Amor.


Por isso, preste atenção nos sinais - não deixe que as loucuras do dia-a-dia o deixem cego para a melhor coisa da vida: O AMOR."

(por Carlos Drummond de Andrade)

sábado, 23 de janeiro de 2010

Sou eu...



"Pedi pro Sol me responder o que é o amor, ele me falou é um grande fogo.


Procurei nos búzios e tornei a perguntar, eles me disseram o amor é um jogo.

Lembrei que a lua tinha muito pra contar, ela se abriu pra mim, disse que o amor usa tantas fases, é uma luz que não tem fim.

Eu pedi pro vento que soprasse o que é o amor, ele garantiu, é tempestade.

Bandos de estrelas me contaram sem piscar, o amor é pura eternidade.

Sem saber direito perguntei pro coração, que sem medo respondeu, o amor é fogo, água, céu e terra...
Sente, o amor sou eu!


Sou em quem gera essa energia que conduz...

Seu coração é essa estrada, essa luz...
O amor é fogo, água, céu e terra...
Sente, o amor sou eu!


Sou eu quem salva o teu caminho da ilusão, eu que te consagro, repetiu meu coração...

O amor é fogo, água, céu e terra...
Sente, o amor sou eu!"

(por Isolda e Eduardo Dusek)

Paixão

http://www.youtube.com/watch?v=W-dU5mpl7G0


"Amo tua voz e tua cor... e teu jeito de fazer amor.
Revirando os olhos e o tapete, suspirando em falsete coisas que eu nem sei contar...

Ser feliz é tudo que se quer. Ah! Esse maldito fecheclair...
De repente a gente rasga a roupa e uma febre muito louca faz o corpo arrepiar...

Depois do terceiro ou quarto copo tudo que vier eu topo. Tudo que vier, vem bem...
Quando bebo perco o juízo, não me responsabilizo nem por mim nem por ninguém...

Não quero ficar na tua vida como uma paixão mal resolvida, dessas que a gente tem ciúme e se encharca de perfume, faz que tenta se matar...

Vou ficar até o fim do dia decorando tua geografia, e essa aventura em carne e osso deixa marcas no pescoço faz a gente levitar...

Tens um não sei que de paraíso e o corpo mais preciso que o mais lindo dos mortais. Tens uma beleza infinita e a boca mais bonita que a minha já tocou..."

(por Kleiton e Kledir)

O excesso de foco é tão prejudicial como a falta dele‏

"Clareza de objetivo, planejamento e persistência são quesitos fundamentais para se conquistar qualquer coisa na vida. Ou seja, dificilmente alguém consegue chegar onde deseja quando não tem foco!

No amor também é assim! Ou você sabe o que quer, faz a sua escolha e toma atitudes coerentes ou, muito provavelmente – mais cedo ou mais tarde – vai ver a pessoa que você deseja nos braços de outra.

Porém, tenho notado que é bem fácil perder a noção de limite quando o alvo é o coração de alguém. Ou seja, foco demais pode ser tão prejudicial quanto foco de menos! Então, qual é a medida ideal?

Muito bem! Em primeiro lugar, a medida é pessoal. Cada um tem de encontrar a sua, baseando-se em seus próprios limites e na intensidade de seus sentimentos. Depois, é preciso reconhecer os parâmetros do bom-senso.

Tem gente que foca só por focar, sem ponderar se realmente está interessado no alvo. Isto está mais para desfoco, como quem atira para todos os lados, do que para atitude de quem sabe o que quer.

Se a idéia é esta – não acertar ninguém – o desfoco pode até ser válido. O único cuidado recai sobre o perigo de atingir algum desavisado e feri-lo deliberadamente, conquistando desafetos desnecessariamente.

Por outro lado, focar demais também pode render preocupações e angústias que só empatam sua vida e lhe roubam a leveza de atitudes. Você fica com a atenção e o coração tão rendidos que perde a noção do todo e, principalmente, não consegue avaliar se tanta dedicação vale mesmo a pena.

Além de facilmente desrespeitar seus limites, aceitando situações que não lhe satisfazem, é bom lembrar que, neste caso, o alvo é móvel, tem vida própria. Quando você se excede, é bem provável que o assuste e ele se afaste.

O fato é que, quando há excesso ou falta, o verdadeiro sentido do foco se perde. A medida certa tem a ver com os sentimentos decorrentes desta arte. Até porque, focar exige destreza, sensibilidade e perspicácia.

Seja para namorar, casar ou simplesmente ser feliz sem rotular o alvo, o ideal é se perguntar, de quando em quando, onde você deseja chegar. No mais, o processo da conquista precisa lhe render prazer, alegria e, sobretudo, aprendizado... E você termina descobrindo que foco de menos te faz sentir vazio e foco demais te faz sentir sufocado.

Desejo que sua conquista signifique amadurecimento, afeto e uma doce constatação: a de que a intensidade do seu foco está em sintonia com o ritmo com que bate seu coração..."

(por Rosana Braga)

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Entre a “dor” e o “nada”, o que você escolhe?

"Não quero defender as relações falidas e que só fazem mal, nem estou sugerindo que as pessoas insistam em sentimentos que não são correspondidos, em relacionamentos que não são recíprocos, mas quero reafirmar a minha crença sobre o quanto considero válida a coragem de recomeçar, ainda que seja a mesma relação; a coragem de continuar acreditando, sobretudo porque a dor faz parte do amor, da vida, de qualquer processo de crescimento e evolução.
Pelas queixas que tenho ouvido, pelas atitudes que tenho visto, pela quantidade de pessoas depressivas que perambulam ocas pelo mundo, parece que temos escolhido muito mais vezes o “nada” do que a “dor”.
Quando você se perguntar “do que adianta amar, tentar, entregar-se, dar o melhor de mim, se depois vem a dor da separação, do abandono, da ingratidão?”, pense nisso: então você prefere a segurança fria e vazia das relações rasas? Então você prefere a vida sem intensidade, os passos sem a busca, os dias sem um desejo de amor? Você prefere o nada, simplesmente para não doer?
Não quero dizer que a dor seja fácil, mas pelo amor de Deus, que me venha a dor impagável do aprendizado que é viver. Que me venha a dor inevitável à qual as tentativas nos remetem. Que me venha logo, sempre e intensa, a dor do amor...
Prefiro o escuro da noite a nunca ter me extasiado com o brilho da Lua...
Prefiro o frio da chuva a nunca ter sentido o cheiro de terra molhada...
Prefiro o recolhimento cinza e solitário do inverno a nunca ter me sentido inebriada pela magia acolhedora do outono, encantada pela alegria colorida da primavera e seduzida pelo calor provocante do verão...
E nesta exata medida, prefiro a tristeza da partida a nunca ter me esparramado num abraço...
Prefiro o amargo sabor do “não” a nunca ter tido coragem de sair da dúvida...
Prefiro o eco ensurdecedor da saudade a nunca ter provado o impacto de um beijo forte e apaixonado... daqueles que recolocam todos os nossos hormônios no lugar!
Prefiro a angústia do erro a nunca ter arriscado...
Prefiro a decepção da ingratidão a nunca ter aberto meu coração...
Prefiro o medo de não ter meu amor correspondido a nunca ter amado ensandecidamente.
Prefiro a certeza desesperadora da morte a nunca ter tido a audácia de viver com toda a minha alma, com todo o meu coração, com tudo o que me for possível... Enfim, prefiro a dor, mil vezes a dor, do que o nada...
Não há – de fato – algo mais terrível e verdadeiramente doloroso do que a negação de todas as possibilidades que antecedem o “nada”.
E já que a dor é o preço que se paga pela chance espetacular de existir, desejo que você ouse, que você pare de se defender o tempo todo e ame, dê o seu melhor, faça tudo o que estiver ao seu alcance, e quando achar que não dá mais, que não pode mais, respire fundo e comece tudo outra vez...
Porque você pode desistir de um caminho que não seja bom, mas nunca de caminhar...
Pode desistir de uma maneira equivocada de agir, mas nunca de ser você mesmo...
Pode desistir de um jeito falido de se relacionar, mas nunca de abrir seu coração...
Portando, que venha o silêncio visceral que deixa cicatrizes em meu peito depois das desilusões e dos desencontros... Mas que eu nunca, jamais deixe de acreditar que daqui a pouco, depois de refeita e ainda mais predisposta a acertar, vou viver de novo, vou doer de novo e sobretudo, vou amar mais uma vez... e não somente uma pessoa, mas tudo o que for digno de ser amado!"

(por Rosana Braga)

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Só um desabafo... *

Antes de qualquer coisa eu quero te dizer que eu adoro vc... e que é pra vc não esquecer disso.... Nunca!
Bem, deixa eu ir direto ao assunto, antes que me falte coragem...
Torço pra que vc esteja bem, com bom humor, tranquilo e feliz, pq assim vc vai poder ler esse e-mail até o final e com calma e de coração aberto e (talvez) me entender... e me perdoar!
Eu espero que vc não fique magoado comigo, juro pra vc que o que aconteceu não foi de próposito, eu não premeditei nada, aconteceu simplesmente...
E não acho justo eu não falar a verdade... Não acho justo vc não saber.
Vc lembra como nos conhecemos, claro!?!?...
Qdo eu vi que era você... minha curiosidade aumentou, principalmente depois daquele papo que tivemos (uma loucura, né!?... nunca vou esquecer!). Quis conhecê-lo... e fui!... Fui pensando ser só aquele dia, puro sexo (até pq, achei que pra vc tb só seria isso... e foi!).
Queria viver isso, nunca tinha saído com um homem e ido para o motel logo na primeira vez... e escolhi vc para fazer isso!...
Hoje, não sei dizer se agi certo, mas não me arrependo...
O que me arrependo é de não ter te falado que eu estava me apaixonando...
Enquanto eu saia com você que me causou tanta curiosidade, tanta vontade... eu me apaixonava... por outro homem, que não aquele que eu escolhi para uma aventura...
Não me julgue mal, esse homem entrou na minha vida sem pedir licença... e eu não tive forças pra não deixar ele entrar... ele é impetuoso, atrevido, sedutor demais... e nem quis saber como eu estava ou como eu me sentia... ele simplesmente chegou e se instalou... como se fosse o senhor de mim... me envolveu de uma forma absurda...
E eu, que me achava "senhora de mim"... me vi, de repente, frágil, sonhando com ele, desejando que ele me amasse de verdade... e com uma vontade louca de me entregar...
Eu jamais imaginei que pudesse me apaixonar tão fácil e tão rápido...
Mas aconteceu... E agora... fazer o que!?!?
Não sei o que fazer!... Ou melhor, sei sim...
Seguir em frente... Vai passar... Afinal, tudo passa, não é mesmo!?
E eu não estou amando, eu estou apaixonada... e paixão se não alimentada não se transforma em amor... passa!...
E passa rápido... ou passa um dia...
Agora que já falei pra vc, me sinto mais leve...
Mas não sei como vai ser daqui pra frente, não sei como vc vai ver isso, não sei o que está passando na sua cabeça, não sei o que vc sente por mim, na verdade não sei nada... mas já não estou mais preocupada em saber...
Podemos ser amigos... bons amigos... amigos apaixonados! rsss
Só me dê um tempo!!!...
Um tempo pra eu esquecer "esse" homem...
Esse homem que me fez criar expectativas que não existiam...

Me perdôe!...
Foi sem querer!


(por Ivy Liv)

No silêncio da noite...

"No silêncio da noite, começo a repensar a vida.
Descubro que na verdade, mesmo sendo mulher madura, mesmo querendo saber sobre o certo e o errado, descubro que na verdade só tenho idade... ainda sou criança pura.
O que é certo? O que é errado? Quem sabe na verdade?!
Como criança busquei a felicidade, como mulher busquei um amor de verdade...
Pensei ter encontrado um resultado de vida, dentro de uma certa realidade... Ledo engano!
Concluo que tudo foi falso... O resultado parece profano...
Na certa busca sem realidade... encontro o erro da maldade.
Como mulher madura... ainda meio criança... busco a felicidade...
Com o direito da conquista, e o dever da bondade... sigo em linha reta!
No silêncio da noite, acho melhor deixar a criança quieta e a mulher ficar esperta!
Como meio mulher-criança, me proponho a mais uma descoberta...
Percebo que algo acontece... algo me inquieta!
No silêncio da noite um grito! Um grito de saudade!
A mulher acorda a criança, trazendo para a realidade, mostrando que na verdade, nada aconteceu com vontade... nada com vontade de viver um amor de verdade...
No silêncio da noite...
O grito emudece, um coração padece, uma alma fenece...
É hora da prece...
O dia amanhece..."

(por Catherine Roos)

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Sou...

"Sou pessoa de dentro pra fora.
Minha beleza está na minha essência e no meu caráter.
Acredito em sonhos, não em utopia.
Mas quando sonho, sonho alto.
Estou aqui é pra viver, cair, aprender, levantar e seguir em frente.

Sou isso hoje...
Amanhã, já me reinventei.

Reinvento-me sempre que a vida pede um pouco mais de mim.
Sou complexa, sou mistura, sou mulher com cara de menina...
E vice-versa.

Me perco, me procuro e me acho.
E quando necessário, enlouqueço e deixo rolar...

Não me dôo pela metade, não sou tua meio amiga nem teu quase amor.
Ou sou tudo ou sou nada. Não suporto meio termo.
Sou boba, mas não sou burra. Ingênua, mas não santa.
Sou pessoa de riso fácil...e choro também!"


(por Tati Bernardi)

Soneto do Amor Total



"Amo-te tanto, meu amor ...
Não cante o
humano coração com mais verdade.

Amo-te como amigo e como amante
Numa sempre diversa realidade.

Amo-te afim, de um calmo amor prestante.
E te amo além, presente na saudade.

Amo-te, enfim, com grande liberdade

Dentro da eternidade e a cada instante.

Amo-te como um bicho, simplesmente,
De um amor sem mistério e sem virtude,
Com um desejo maciço e permanente.

E de te amar assim, muito e amiúde

É que um dia em teu corpo de repente
Hei de morrer de amar mais do que pude."

(por Vinicius de Moraes)

Sumi...

"Sumi porque só faço besteira em sua presença, fico muda quando deveria verbalizar, digo um absurdo atrás do outro quando melhor seria silenciar, faço brincadeiras de mau gosto e sofro antes, durante e depois de te encontrar.

Sumi porque não há futuro e isso não é o mais difícil de lidar, pior é não ter presente e o passado ser mais fluido que o ar.

Sumi porque não há o que se possa resgatar, meu sumiço é covarde mas atento, meio fajuto, meio autêntico.

Sumi porque sumir é um jogo de paciência, ausentar-se é risco e sapiência, pareço desinteressada, mas sumi para estar para sempre do seu lado, a saudade fará mais por nós dois que nosso amor e sua desajeitada e irrefletida permanência."

(por Martha Medeiros)

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Eu preciso dizer que te amo‏



"Quando a gente conversa contando casos, besteiras,

Tanta coisa em comum deixando escapar segredos.
E eu não sei que hora dizer, me dá um medo, que medo.
É que eu preciso dizer que eu te amo,
Te ganhar ou perder sem engano.
É, eu preciso dizer que eu te amo tanto
E até o tempo passa arrastado
Só pra eu ficar do teu lado.
Você me chora dores de outro amor,
Se abre e acaba comigo
E nessa novela eu não quero
Ser teu amigo.
É que eu preciso dizer que eu te amo,
Te ganhar ou perder sem engano.
É, eu preciso dizer que eu te amo tanto.
Eu já nem sei se eu tô misturando.
Eu perco o sono
Lembrando em cada riso teu
Qualquer bandeira,
Fechando e abrindo a geladeira
A noite inteira.
Eu preciso dizer que eu te amo,
Te ganhar ou perder sem engano.
Eu preciso dizer que eu te amo tanto."

(por Cazuza, Bebel Gilberto e Dé)

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Quero você comigo...

"Algo dentro de nós se quebrou...
Não sei bem como, nem quando!
Tudo está confuso e inerte!
Ainda o amo, sei disso!
Ainda te quero, mais do que tudo!
Mas, há algo de diferente em seu olhar...
E não consigo decifrar!
Queria aprender a lidar com isso...
Adoro estar com você, ficar com você...rir com você...
Mas não consigo ver-te com os mesmos olhos...
Quero sentir a mesma emoção em meu coração!
Fazer as mesmas coisas de antes...
E esquecer o mundo!
Quero você de volta em minha vida!!!"

(Autor Desconhecido)
PS: Se alguém souber a autoria, por favor me deixe uma mensagem

domingo, 17 de janeiro de 2010

Eu, Modo de Usar

"Pode invadir ou chegar com delicadeza, mas não tão devagar que me faça dormir.
Não grite comigo, tenho o péssimo hábito de revidar.
Acordo pela manhã com ótimo humor mas... permita que eu escove os dentes primeiro.
Toque muito em mim, principalmente nos cabelos e minta sobre minha nocauteante beleza.
Tenho vida própria, me faça sentir saudades, conte algumas coisas que me façam rir, mas não conte piadas e nem seja preconceituoso, não perca tempo, cultivando este tipo de herança de seus pais.
Viaje antes de me conhecer, sofra antes de mim para reconhecer-me um porto, um albergue da juventude.
Eu saio em conta, você não gastará muito comigo.
Acredite nas verdades que digo e também nas mentiras, elas serão raras e sempre por uma boa causa.
Respeite meu choro, me deixe sozinha, só volte quando eu chamar e, não me obedeça sempre, que eu também gosto de ser contrariada. (Então fique comigo quando eu chorar, combinado?).
Seja mais forte que eu e menos altruísta!
Não se vista tão bem... gosto de camisa para fora da calça, gosto de braços, gosto de pernas e muito de pescoço.
Reverenciarei tudo em você que estiver a meu gosto: boca, cabelos, os pelos do peito e um joelho esfolado, você tem que se esfolar as vezes, mesmo na sua idade.
Leia, escolha seus próprios livros, releia-os.
Odeie a vida doméstica e os agitos noturnos.
Seja um pouco caseiro e um pouco da vida, não de boate que isto é coisa de gente triste. Não seja escravo da televisão, nem xiita contra. Nem escravo meu, nem filho meu, nem meu pai. Escolha um papel para você que ainda não tenha sido preenchido e o invente muitas vezes.
Me enlouqueça uma vez por mês mas, me faça uma louca boa, uma louca que ache graça em tudo que rime com louca: loba, boba, rouca, boca...
Goste de música e de sexo, goste de um esporte não muito banal. Não invente de querer muitos filhos, me carregar pra a missa, apresentar sua familia... isso a gente vê depois... se calhar...
Deixa eu dirigir o seu carro, que você adora. Quero ver você nervoso, inquieto, olhe para outras mulheres, tenha amigos e digam muitas bobagens juntos.
Não me conte seus segredos... me faça massagem nas costas. Não fume, beba, chore, eleja algumas contravenções.
Me rapte!...

Se nada disso funcionar...
Experimente me amar!!!
"

(por Martha Medeiros)

Rifa-se um coração...

"Rifa-se um coração quase novo.
Um coração idealista.
Um coração como poucos.
Um coração à moda antiga.
Um coração moleque que insiste em pregar peças no seu usuário.

Rifa-se um coração que na realidade está um pouco usado, meio calejado, muito machucado e que teima em alimentar sonhos e, cultivar ilusões. Um pouco inconseqüente que nunca desiste de acreditar nas pessoas.
Um leviano e precipitado coração que acha que Tim Maia estava certo quando escreveu - "...não quero dinheiro, eu quero amor sincero, é isso que eu espero...".
Um idealista... Um verdadeiro sonhador...

Rifa-se um coração que nunca aprende.
Que não endurece, e mantém sempre viva a esperança de ser feliz, sendo simples e natural.
Um coração insensato que comanda o racional sendo louco o suficiente para se apaixonar.
Um furioso suicida que vive procurando relações e emoções verdadeiras.

Rifa-se um coração que insiste em cometer sempre os mesmos erros. Esse coração que erra, briga, se expõe.
Perde o juízo por completo em nome de causas e paixões.
Sai do sério e, às vezes revê suas posições arrependido de palavras e gestos. Este coração tantas vezes incompreendido.
Tantas vezes provocado. Tantas vezes impulsivo.

Rifa-se este desequilibrado emocional que abre sorrisos tão largos que quase dá pra engolir as orelhas, mas que também arranca lágrimas e faz murchar o rosto.
Um coração para ser alugado, ou mesmo utilizado por quem gosta de emoções fortes.
Um órgão abestado indicado apenas para quem quer viver intensamente.
Contra indicado para os que apenas pretendem passar pela vida matando o tempo, defendendo-se das emoções.

Rifa-se um coração tão inocente que se mostra sem armaduras e deixa louco o seu usuário.
Um coração que quando parar de bater ouvirá o seu usuário dizer para São Pedro na hora da prestação de contas:
"O Senhor pode conferir. Eu fiz tudo certo, só errei quando coloquei sentimento. Só fiz bobagens e me dei mal quando ouvi este louco coração de criança que insiste em não endurecer e, se recusa a envelhecer."

Rifa-se um coração, ou mesmo troca-se por outro que tenha um pouco mais de juízo.
Um órgão mais fiel ao seu usuário.
Um amigo do peito que não maltrate tanto o ser que o abriga.
Um coração que não seja tão inconseqüente.

Rifa-se um coração cego, surdo e mudo, mas que incomoda um bocado. Um verdadeiro caçador de aventuras que ainda não foi adotado, provavelmente, por se recusar a cultivar ares selvagens ou racionais, por não querer perder o estilo.

Oferece-se um coração vadio, sem raça, sem pedigree. Um simples coração humano.
Um impulsivo membro de comportamento até meio ultrapassado.
Um modelo cheio de defeitos que, mesmo estando fora do mercado, faz questão de não se modernizar, mas vez por outra, constrange o corpo que o domina.
Um velho coração que convence seu usuário a publicar seus segredos e a ter a petulância de se aventurar como poeta."

(por Clarice Lispector)

Que seja doce...

"Que seja doce o dia quando eu abrir as janelas e lembrar de você.
Que sejam doce os finais de tardes, inclusive os de segunda-feira - quando começa a contagem regressiva para o final de semana chegar.
Que seja doce a espera pelas mensagens, ligações e recadinhos bonitinhos.
Que seja (mais do que) doce a voz ao falar no telefone.
Que seja doce o seu cheiro.
Que seja doce o seu jeito, seus olhares, seu receio
.
Que seja doce o seu modo de andar, de sentir, de demonstrar afeto.
Que sejam doce suas expressões faciais, até o levantar de sobrancelha.
Que seja doce a leveza que eu sentirei ao seu lado
.
Que seja doce a ausência do meu medo.
Que seja doce o seu abraço.
Que seja doce o modo como você irá segurar na minha mão.
Que seja doce.
Que sejamos doce
.
E seremos. Eu sei!
Que seja doce. Repito: Que seja doce.
Sete vezes pra dar mais sorte: Doce, doce, doce, doce, doce, doce, doce...
"

(por Caio Fernando Abreu)

sábado, 16 de janeiro de 2010

Afinidades...

"Pode ser difícil fazer algumas escolhas, mas muitas vezes isso é necessário, existe uma diferença muito grande entre conhecer o caminho e percorrê-lo. Não procure querer conhecer seu futuro antes da hora, nem exagere em seu sofrimento, esperar é dar uma chance à vida para que ela coloque a pessoa certa em seu caminho.
Pensando bem em tudo o que a gente vê e vivencia e ouve e pensa, não existe uma pessoa certa pra gente. Existe uma pessoa que se você for parar pra pensar é, na verdade, a pessoa errada. Porque a pessoa certa faz tudo certinho!
Chega na hora certa, fala as coisas certas, faz as coisas certas, mas nem sempre a gente tá precisando das coisas certas. Aí é a hora de procurar a pessoa errada.
A pessoa errada te faz perder a cabeça, perder a hora, morrer de amor...
A pessoa errada vai ficar um dia sem te procurar que é pra na hora que vocês se encontrarem a entrega ser muito mais verdadeira. A pessoa errada, é na verdade, aquilo que a gente chama de pessoa certa.
Essa pessoa vai te fazer chorar, mas uma hora depois vai estar enxugando suas lágrimas.
Essa pessoa vai tirar seu sono, essa pessoa talvez te magoe e depois te encha de mimos pedindo perdão.
Essa pessoa pode não estar 100% do tempo ao seu lado, mas vai estar 100% da vida dela esperando você. Vai estar o tempo todo pensando em você.
A pessoa errada tem que aparecer pra todo mundo, porque a vida não é certa. Nada aqui é certo!
O que é certo mesmo, é que temos que viver cada momento, cada segundo, amando, sorrindo, chorando, emocionando, pensando, agindo, querendo, conseguindo...
E só assim, é possível chegar àquele momento do dia em que a gente diz: "Graças à Deus deu tudo certo"
Quando na verdade, tudo o que Ele quer é que a gente encontre a pessoa errada pra que as coisas comecem a realmente funcionar direito pra gente..."

(por Luis Fernando Veríssimo)

Tá doendo?!? Então, solta!

"Sabe quando você vive uma situação difícil, angustiante e que te incomoda? Quando você não sabe o que dizer, o que fazer ou como agir para que a dor passe ou ao menos diminua? Pois vou te contar o que tenho descoberto, por experiência própria! Em primeiro lugar, observe a situação toda e, sobretudo, observe a si mesmo e os seus comportamentos. Errou? Tente consertar e, de qualquer modo, peça desculpas! Fez ou falou o que não devia? Explique-se, seja sincero, não tente esconder seu engano ou fingir que nada aconteceu... Valide a dor do outro, sempre. Ta difícil conseguir uma nova chance? Dê um tempo. Espere... Às vezes, algumas noites bem dormidas e alguns dias sem a imposição de sua presença ou a insistência de suas tentativas são preponderantes para que os sentimentos bons sejam resgatados e para que um coração possa ser reconquistado. Por fim, fez tudo isso e não deu certo? Não rolou? A pessoa até te perdoou, mas a massa desandou, a história se perdeu, os desejos esfriaram?!? Você se sente inconformado, esmagado pelo arrependimento, atordoado pela tristeza do que poderia ter sido e não foi? Tem a sensação de que estragou tudo? Não sabe mais o que fazer para parar de doer? Acredite, só tem um jeito: solta! A dor é conseqüência de um apego inútil! Deixa ir... Deixa rolar... Se você já fez o que podia fazer, tentou e não deu, confie na vida, confie no Universo e siga em frente. Pare de se lamentar, pare de se debater e de se perder cada vez mais, e tenha a certeza absoluta de que o que tiver de ser, será! Quando essa certeza chega, é impressionante: a gente simplesmente relaxa e solta! E quando solta, a dor começa a diminuir, e a gente começa a compreender que está tudo certo, mesmo quando não temos a menor idéia de que "certo" é esse. Mas quando menos esperamos, tudo fica absolutamente claro! Não se trata de desistir, mas de confiar! Isso é o que se chama 'FÉ'! Isso é o que desejo a mim e a você, quando algo estiver doendo em nós..."

(por Rosana Braga)

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Pensando em você



"Eu estou pensando em você.
Pensando em nunca mais pensar em te esquecer,
pois quando penso em você é quando não me sinto só.
Com minhas letras e canções, com o perfume das manhãs,
com a chuva dos verões, com o desenho das maçãs e com você me sinto bem.
Eu estou pensando em você, pensando em nunca mais... te esquecer.
Pensando em você...
Pensando em você...
Pensando em você."

(por Paulinho Moska)

Enquanto você dormia...

"Enquanto você dormia...
Tentei descobrir a receita da felicidade para dar a você em doses homeopáticas
para que ficasse dependente de mim...
Esse é o meu lado EGOISTA!

Enquanto você dormia...
Tentei negociar com Deus alguns anos de vida em troca de um par de asas que me permitisse alçar vôo até você...
Esse é o meu lado SONHADORA

Enquanto você dormia...
Aprisionei o vento, silenciei os sons da noite e calei os seresteiros para que o silêncio embalasse seu sono...
Esse é o meu lado ANJO DA GUARDA!

Enquanto você dormia...
Apaguei todas as estrelas, desliguei a lua, coloquei vaga-lumes atrás das montanhas e pedi as nuvens para embalar você...
Esse é o meu lado FADA!

Enquanto você dormia...
Encomendei um amanhecer perfeito, pedi ao sol para despertar depois de você e iluminar os caminhos do seu dia...
Esse é o meu lado BRUXINHA!

Enquanto você dormia...
Eu tecia sonhos com os fios de lembranças de nós dois, enquanto meus olhos relutavam entre o sonho e o despertar...
Esse é o meu lado SAUDADE!

Tentei me manter acordada para sentir o quanto te amo, até concluir que melhor era dormir e encontrar você no sonho...
Esse é meu lado CARENTE!


Enquanto você dormia...
pensei numa frase que traduzisse meu sentimento para que você lesse enquanto eu dormia...
Já disse hoje, que eu te amo?
Esse é o meu lado AMOR!"

(por Lady Foppa)

A despedida do amor

"Existem duas dores de amor:

A primeira é quando a relação termina e a gente, seguindo amando, tem que se acostumar com a ausência do outro, com a sensação de perda, de rejeição e com a falta de perspectiva, já que ainda estamos tão embrulhados na dor que não conseguimos ver luz no fim do túnel.

A segunda dor é quando começamos a vislumbrar a luz no fim do túnel.

A mais dilacerante é a dor física da falta de beijos e abraços, a dor de virar desimportante para o ser amado. Mas, quando esta dor passa, começamos um outro ritual de despedida: a dor de abandonar o amor que sentíamos. A dor de esvaziar o coração, de remover a saudade, de ficar livre, sem sentimento especial por aquela pessoa. Dói também...

Na verdade, ficamos apegados ao amor tanto quanto à pessoa que o gerou. Muitas pessoas reclamam por não conseguir se desprender de alguém. É que, sem se darem conta, não querem se desprender. Aquele amor, mesmo não retribuído, tornou-se um souvenir, lembrança de uma época bonita que foi vivida... Passou a ser um bem de valor inestimável, é uma sensação à qual a gente se apega. Faz parte de nós. Queremos, logicamente, voltar a ser alegres e disponíveis, mas para isso é preciso abrir mão de algo que nos foi caro por muito tempo, que de certa maneira entranhou-se na gente, e que só com muito esforço é possível alforriar.

É uma dor mais amena, quase imperceptível. Talvez, por isso, costuma durar mais do que a "dor-de-cotovelo" propriamente dita. É uma dor que nos confunde. Parece ser aquela mesma dor primeira, mas já é outra. A pessoa que nos deixou já não nos interessa mais, mas interessa o amor que sentíamos por ela, aquele amor que nos justificava como seres humanos, que nos colocava dentro das estatísticas: "Eu amo, logo existo".

Despedir-se de um amor é despedir-se de si mesmo. É o arremate de uma história que terminou, externamente, sem nossa concordância, mas que precisa também sair de dentro da gente...

E só então a gente poderá amar, de novo."


(por Martha Medeiros)

Certezas

"Não quero alguém que morra de amor por mim…
Só preciso de alguém que viva por mim, que queira estar junto de mim, me abraçando.
Não exijo que esse alguém me ame como eu o amo, quero apenas que me ame, não me importando com que intensidade.
Não tenho a pretensão de que todas as pessoas que gosto, gostem de mim…
Nem que eu faça a falta que elas me fazem, o importante pra mim é saber que eu, em algum momento, fui insubstituível…
E que esse momento será inesquecível…
Só quero que meu sentimento seja valorizado.
Quero sempre poder ter um sorriso estampando em meu rosto, mesmo quando a situação não for muito alegre…
E que esse meu sorriso consiga transmitir paz para os que estiverem ao meu redor.
Quero poder fechar meus olhos e imaginar alguém…e poder ter a absoluta certeza de que esse alguém também pensa em mim quando fecha os olhos, que faço falta quando não estou por perto.
Queria ter a certeza de que apesar de minhas renúncias e loucuras, alguém me valoriza pelo que sou, não pelo que tenho…
Que me veja como um ser humano completo, que abusa demais dos bons sentimentos que a vida lhe proporciona, que dê valor ao que realmente importa, que é meu sentimento…e não brinque com ele.
E que esse alguém me peça para que eu nunca mude, para que eu nunca cresça, para que eu seja sempre eu mesmo.
Não quero brigar com o mundo, mas se um dia isso acontecer, quero ter forças suficientes para mostrar a ele que o amor existe…
Que ele é superior ao ódio e ao rancor, e que não existe vitória sem humildade e paz.
Quero poder acreditar que mesmo se hoje eu fracassar, amanhã será outro dia, e se eu não desistir dos meus sonhos e propósitos, talvez obterei êxito e serei plenamente feliz.
Que eu nunca deixe minha esperança ser abalada por palavras pessimistas…
Que a esperança nunca me pareça um NÃO que a gente teima em maquiá-lo de verde e entendê-lo como SIM.
Quero poder ter a liberdade de dizer o que sinto a uma pessoa, de poder dizer a alguém o quanto ele é especial e importante pra mim, sem ter de me preocupar com terceiros… Sem correr o risco de ferir uma ou mais pessoas com esse sentimento.
Quero, um dia, poder dizer às pessoas que nada foi em vão…
Que o amor existe, que vale a pena se doar às amizades a às pessoas, que a vida é bela sim, e que eu sempre dei o melhor de mim… e que valeu a pena."


(por Mário Quintana)

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Observe a cachoeira

"Observe a cachoeira…

Ela perderia sua canção se fossem tiradas as pedras do seu caminho.

São os obstáculos que fazem suas águas prosseguirem.

Nenhuma rocha é capaz de deter a água.

Ela tem sabedoria para contorná-la e seguir em frente, com a força da suavidade…

Nada é mais suave e nada é mais forte do que a água;

caminha firme e lentamente, sabedora de que tem o mesmo destino do homem:

seguir em frente!

Assim também é a nossa vida.

Os obstáculos existem para nos fazer caminhar cada vez mais firmes, mais determinados.

Portanto, quando o sofrimento bater à sua porta,

não lamente nem se inquiete, seja apenas testemunha da dor.

Sinta-se um privilegiado porque é das batalhas que surge a alma.

Diante de qualquer problema que lhe pareça sem solução,

tome uma atitude inteligente a seu favor: respire…

Seja flexível como as flores, como as borboletas…

Experimente todos os perfumes.

Estenda a mão, ofereça a sua compreensão, o seu amor.

Viemos a este planeta para aprender a amar.

Apenas isso.

Então ame! Ame sempre!

Só o amor realiza a mágica de se multiplicar quando é dividido."


(Autor Desconhecido)

PS: Se alguém souber a autoria, por favor me deixe uma mensagem

Preciso respirar!

"O amor invade a vida, preenche os vazios e nos faz ver o futuro com um tom mais colorido e vibrante. Limpo, sem medos e sem receios.
Se entregar ao amor é como viver uma nova vida a cada segundo, é poder fechar os olhos e sem medo saltar no desconhecido sem pensar nas conseqüências.
Amar é conviver com o sorriso, é saber que existe o amparo e que a vida não é mais escrita no singular, pois passamos a dividir em um mesmo coração duas histórias.

Amar é sonhar, é acreditar, é enxergar além dos olhos, é usar a percepção do coração. É perceber que o futuro é apenas um algo a mais e que o passado reflete o hoje do amanhã.

Amar é ver poesia na vida, é enxergar o colorido da tempestade, é ter a coragem para pintar de azul o céu com apenas um olhar em um dia nublado, é dar sentido para uma história que não precisa de um final.

Mas amar, além de belo, é o representar da dor. Acreditamos, vivemos, lutamos, nos entregamos, sonhamos e muitas vezes ao final percebemos que tudo significou nada e que o sorriso se converteu em lágrimas. O amor passa a ser a segunda, terceira ou quarta opção daquele que não sabe o que é amar.

O azul do céu volta para o cinza e as decisões ganham peso, pois sabemos o quanto pode doer. Dor essa que machuca sem piedade, rasga o coração, espreme os desejos e afoga os sonhos em lágrimas. Dor que se torna presente do despertar do anoitecer, que te acompanha em todos os passos, sem folgas ou pausas.

O amor é injusto, é covarde, utiliza do melhor para te mostrar o pior. Transforma tudo que um dia foi representação de sorriso para atrair as lágrimas. A culpa talvez nem seja do amor, mas sim daquele que não sabe o que é sentir e viver alguém.

O amor não é conto de fadas, mas somos todos heróis, pois enfrentamos a vida e as desilusões com todos os medos possíveis, sempre acreditando que vale a pena o sofrimento para voltar a amar e assim recomeçar o ciclo. O amor que faz sorrir e que faz chorar.

Preciso de um tempo, para descobrir outra forma de amar, pois as lágrimas já secaram e a esperança me faz acreditar que o sofrimento está no passado e nesse caso, um passado encerrado pela dor e lacrado pela sabedoria de quem um dia amou.
"


(por Pedro Pitanga)