Entre e aconchegue-se, a casa é sua!

"Agradeço muito por você fazer parte da minha viagem, e por mais que nossos assentos não estejam lado a lado, com certeza, estamos no mesmo vagão."

"Se você sabe explicar o que sente, não ame,
o amor foge de todas as explicações possíveis."

"Todos ganham presentes, mas nem todos abrem o pacote."

"Não quero ter a terrível limitação
de quem vive apenas do que é passível de fazer sentido.
Eu não:
QUERO UMA VERDADE INVENTADA."



"Está em nossas mãos criar as condições que nos permitam descobrir uma forma diferente de ser. Por que não agir como a borboleta que acreditou que não deveria se limitar a uma existência de lagarta e, hoje, trocou sua vida limitada pela LIBERDADE DE VOAR POR ENTRE AS FLORES."

"Acalma meu passo, Senhor.
Desacelera as batidas do meu coração, acalmando a minha mente.
Diminua meu ritmo apressado com uma visão da eternidade do tempo.
Em meio às confusões do dia a dia, dê-me a tranqüilidade das montanhas.
"





segunda-feira, 21 de outubro de 2013

NEVER MORE!!!


Como o corvo de Poe repito: NEVER MORE, NEVER MORE!

Tivemos tudo e nem sequer vimos isto.
Você colocou-se como um monólito
que impede de seguirmos nosso rumo,

E este rumo foi como um risco,
um croqui do nosso existir juntos!...
Porém, findou tudo em pouco tempo, 
muito pouco tempo mesmo.

Nem deu tempo de um encontro prometido, 

contudo, sempre descumprido!
Sequer sentimos nossos cheiros, 
sequer soubemos de nossos gostos.

Sequer encostei meu corpo quente no seu corpo!
Você fugiu deste encontro 
como o demônio foge de um cruzeiro.

Sim! Estou triste e infelizmente 

vou ter que conviver com isto por muito tempo!
Porém, se meu choro ouvir pode crer é por você, 
por você ter medo de viver,

Por você preferir viver só do que viver comigo!
Sigo em frente e nem olho o ontem, 
vivo o hoje e penso no futuro que vem vindo.

Sorrio e sigo em frente!
Sem conflitos comigo mesmo, 
dormindo o sono dos justos!

Continuo repetindo o que o corvo de Poe disse: 
NEVER MORE, NEVER MORE...

Nenhum comentário: